Verbos unipessoais

Há alguns verbos da língua portuguesa que, por diferentes razões, são usados apenas em alguns tempos, modos ou pessoas. Os verbos unipessoais são verbos que só se empregam na 3ª pessoa do singular e do plural. Geralmente, os verbos unipessoais apresentam sentidos que só são coerentes com a admissão da 3ª pessoa.

  • Os sapos coaxavam nas águas.
  • Convém sair mais cedo.
  • Aconteceu o que eu temia.

Tipos de verbos unipessoais

Há três classificações gerais dos verbos unipessoais. São eles:

  • Os verbos que exprimem uma ação ou um estado particular a determinado animal, como ladrar, trotar, galopar, rosnar, zurrar, etc.:
    • Os cavalos galopavam incontidos.
    • Borboletas azuis esvoaçavam de flor em flor.
    • Zumbem à porta insetos gigantescos.
  • Os verbos que indicam necessidade, conveniência, sensações, quando o sujeito dele é um substantivo:
    • Urgem as necessidades sugeridas.
    • Pareceu-me que ele morria.
    • Convém ir embora logo.
  • Os verbos acontecer, concernir, grassar e outros, como constar, assentar, etc.:
    • Aconteceu o que ele queria.
    • O exemplo não concerne ao caso.
    • O trabalho consta de quatro partes.

Em sentido figurado ou em linguagem literária, os verbos classificados como unipessoais podem aparecer conjugados em todas as pessoas:
Rosnei com meus botões e saí em busca de vingança.