Substantivo simples

Os substantivos simples são aqueles formados por apenas um radical, isto é, por apenas um elemento ou uma palavra. Assim, apresenta nomes formados por apenas uma palavra.

  • casa;
  • cachorro;
  • terra;
  • cigarro;
  • tênis;
  • ar.

Exemplos com substantivos simples

  • A minha casa é muito grande.
  • Tenho três cachorros e os amo muito.
  • Sinto que colocar os meus pés na terra renova as minhas energias vitais.
  • Preciso fumar um cigarro!
  • Comprei um tênis novo, mas ele ficou apertado.
  • Precisamos de ar para respirar.

Flexão dos substantivos simples

Todos os substantivos da língua portuguesa podem ser flexionados em gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e em grau (aumentativo e diminutivo).

Flexão de gênero

Os substantivos simples podem se apresentar no gênero masculino ou no gênero feminino. O gênero gramatical nada tem a ver com o sexo biológico, é preciso que a distinção entre esses conceitos fique bastante clara: os gêneros gramaticais dizem respeito a todos os substantivos da língua portuguesa, sejam eles dotados de sexo ou não. Por exemplo: o leão, a leoa, a mesa, a mulher, o telefone e o computador.

Embora grande parte dos substantivos apresentem terminações que indiquem o seu gênero gramatical, a forma principal de classificar um substantivo quanto ao gênero é observar o artigo que o antecede.

Geralmente, os substantivos masculinos são antecedidos pelos artigos:

  • o;
  • os;
  • um;
  • uns.

Os substantivos femininos são antecedidos pelos artigos:

  • a;
  • as;
  • uma;
  • umas.

Classificação quanto à flexão de gênero

Quanto a flexão de gênero os substantivos são classificados em:

  • Substantivos biformes: apresentam duas formas, uma para o masculino e outra para o feminino. Geralmente, a distinção entre uma forma e outra é pequena: menino – menina; moço – moça; gato – gata.
  • Substantivos uniformes: são aqueles que possuem apenas uma forma para os dois gêneros. São classificados em:
    • comuns de dois gêneros: apresentam apenas uma forma para ambos os gêneros gramaticais e distinguem o masculino do feminino pelo gênero do artigo ou de outro determinante que os acompanham: o estudante, a estudante; o agente, a agente.
    • sobrecomuns: apresentam apenas um gênero gramatical para designar pessoas de ambos os sexos: a criança, o sujeito, o indivíduo, a testemunha, o cônjuge, a pessoa.
    • epiceno: os nomes de animais que apresentam um só gênero gramatical para designar os dois sexos: a mosca, a águia, o besouro, o polvo, o rouxinol, o tatu, a baleia.

Flexão de número

Os substantivos simples podem ser flexionados no singular ou no plural:

  • Singular: designa um ser único, ou um conjunto de seres considerados como um todo (substantivo coletivo): cão, aluno, mesa, povo, tropa.
  • Plural: designa mais de um ser ou mais de um conjunto orgânico de seres: cães, alunos, mesas, povos, tropas.

Flexão de grau

O grau das palavras se relaciona ao tamanho e a intensidade das ideias expressadas. Existem dois graus: o aumentativo e o diminutivo.

  • Aumentativo: significação exagerada e intensificada: chapelão (chapéu grande), bocarra (boca enorme), casarão (casa muito grande).
  • Diminutivo: significação atenuada ou valorizada afetivamente: chapeuzinho (chapéu pequeno), boquinha (boca minúscula), amorzinho (tratamento carinhoso).

Os graus aumentativo e diminutivo são formados sinteticamente ou analiticamente:

  • Sinteticamente: insere sufixos especiais nas palavras: chape-l-ão, boc-arra, chapeu-zinho, boqu-inha.
  • Analiticamente: junta-se um adjetivo ao substantivo que indique aumento ou diminuição: chapéu grande, boca enorme, chapéu pequeno, boca minúscula.

Sobre os substantivos

Os substantivos são a classe de palavras fundamental da língua portuguesa. Sem eles não é possível estruturar frases e criar textos, tampouco nos comunicarmos de maneira eficiente, isso porque os substantivos são responsáveis por nomear os seres, objetos, ações, lugares e sentimentos que constituem o mundo.

Assim, os substantivos são palavras que existem para dar nomes:

  • aos seres reais e imaginários (homem, mulher, bruxa, fada, cachorro,…);
  • às pessoas (Luiz, Fátima, João,…);
  • aos objetos (mesa, geladeira, computador,…);
  • às qualidades (a beleza da garota, a chatice do menino, a complexidade da vida,…);
  • aos lugares (praia, escritório, aeroporto, Belo Horizonte, Paris,…);
  • aos sentimentos (ciúme, amor, amizade, raiva,…);
  • às ações (movimento, paulada, dança,…).

Além de pertencerem à classe gramatical mais numerosa da língua portuguesa, os substantivos são uma classe gramatical variável e, assim, apresentam flexão de gênero, número e grau. Além disso, eles podem ser precedidos por numerais (um garoto), artigos (o garoto), adjetivos (lindo garoto) ou pronomes (meu garoto).

São classificados em nove categorias de acordo com a especificidade de suas funções semânticas. Essas categorias são: substantivos simples, substantivos compostos, derivados, primitivos, concretos, abstratos, comuns, próprios e coletivos.