Substantivo concreto

Os substantivos concretos são aqueles que designam os seres propriamente ditos, isto é, os nomes de pessoas, de lugares, de instituições, de um gênero, de uma espécie ou de um dos seus representantes:

  • homem;
  • cidade;
  • Senado;
  • árvore;
  • cão;
  • cavalo;
  • Pedro;
  • Lisboa;
  • Brasil;

Assim, os substantivos concretos são responsáveis por nomear seres com existência própria e que não dependem de outros para existirem.

Substantivos concretos e abstratos

Tradicionalmente, os substantivos concretos são considerados como opostos dos abstratos, uma vez que os últimos designam noções, ações, estados, qualidades e sentimentos, enquanto os primeiros se referem a seres de existência real.

Contudo, atualmente, é defendida a existência de diferentes graus de concretude e abstração, que substitui a anterior ideia de oposição.

Assim, mediante o contexto frásico em que estão inseridos, os substantivos podem ser mais ou menos concretos ou abstratos.

O grau de concretude e abstração dos substantivos pode ser avaliado em função da relação que a palavra estabelece com as outras palavras da frase na qual se encontra.

Assim, se um substantivo, em uma frase qualquer, não depende de outro para existir, ele será mais concreto do que abstrato. Caso contrário, isto é, se a existência do substantivo na frase estiver dependente de outro substantivo, ele será abstrato.

Exemplos

  • Você pode me dizer qual a imagem que você tem dessa pessoa? (abstrato)
  • A imagem fotografada será emoldurada e exposta. (concreto).

Na primeira frase, a palavra imagem denota uma noção e está relacionada com o substantivo pessoa, é portanto um substantivo abstrato.

Já na segunda frase, o substantivo imagem representa uma imagem concreta, uma fotografia, e não depende de outro substantivo para ter seu sentido compreendido, é portanto um substantivo concreto.

Sobre os substantivos

Os substantivos são a classe de palavras fundamental da língua portuguesa. Sem eles não é possível estruturar frases e criar textos, tampouco nos comunicarmos de maneira eficiente, isso porque os substantivos são responsáveis por nomear os seres, objetos, ações, lugares e sentimentos que constituem o mundo.

Assim, os substantivos são palavras que existem para dar nomes:

  • aos seres reais e imaginários (homem, mulher, bruxa, fada, cachorro,…);
  • às pessoas (Luiz, Fátima, João,…);
  • aos objetos (mesa, geladeira, computador,…);
  • às qualidades (a beleza da garota, a chatice do menino, a complexidade da vida,…);
  • aos lugares (praia, escritório, aeroporto, Belo Horizonte, Paris,…);
  • aos sentimentos (ciúme, amor, amizade, raiva,…);
  • às ações (movimento, paulada, dança,…).

Além de pertencerem à classe gramatical mais numerosa da língua portuguesa, os substantivos são uma classe gramatical variável e, assim, apresentam flexão de gênero, número e grau. Além disso, eles podem ser precedidos por numerais (um garoto), artigos (o garoto), adjetivos (lindo garoto) ou pronomes (meu garoto).

São classificados em nove categorias de acordo com a especificidade de suas funções semânticas. Essas categorias são: substantivos simples, substantivos compostos, derivados, primitivos, concretos, abstratos, comuns, próprios e coletivos.