Pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos se referem à 3ª pessoa do discurso, designando-a a de mogo vago, impreciso e indeterminado. Os pronomes indefinidos podem ser variáveis, isto é, sofrer flexão de gênero e número, ouinvariáveis.

Quadro dos pronomes indefinidos

Pronomes indefinidos variáveisPronomes indefinidos invariáveis
algum, alguma, alguns
nenhum, nenhuma, nenhuns
todo, todos, toda, todas
outro, outros, outra, outras
muito, muitos, muita, muitas
pouco, poucos, pouca, poucas
certo, certos, certa, certas
vário, vários, vária, várias
tanto, tantos, tanta, tantas
quanto, quantos, quanta, quantas
qualquer, quaisquer
alguém, ninguém, tudo,
outrem, nada, quem,
cada, algo.

Os pronomes indefinidos também podem aparecer na forma de locuções: cada qual, cada um, qualquer um, quantos quer (que), quem quer (que), seja quem for, seja qual for, todo aquele (que), tal qual(= certo), tal e qual, tal ou qual, um ou outro, uma ou outra, etc. Além disso, os pronomes indefinidos podem ser pronomes substantivos ou pronomes adjetivos.

Pronomes indefinidos substantivos

Os pronomes indefinidos substantivos funcionam nas frases como substantivos, isto é, substituem o lugar do ser ou da quantidade aproximada à que se referem. São eles: algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, ninguém, outrem, quem, tudo.

Exemplos

  • Algo o incomoda?
  • Acreditam em tudo o que fulano diz ou sicrano escreve.
  • Não faça a outrem o que não queres que te façam.
  • Quem avisa amigo é.
  • Ele gosta de quem o elogia.

Pronomes indefinidos adjetivos

Os pronomes indefinidos adjetivos atuam nas frases como adjetivos, ou seja, acompanham o ser ao qual se referem e o qualificam, conferindo-lhe a noção de quantidade aproximada. São eles: cada, certo, certos, certa, certas.

Exemplos

  • Cada lugar um lugar, cada lugar uma lei.
  • Certo dia apareceu um repórter na minha casa.
  • Cada povo tem a sua cultura.
  • Certas pessoas não pensam no que fazem.

Valor dos pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos podem apresentar diferentes valores, isto é, diferentes sentidos conforme o contexto das frases em que são empregados.

Ninguém e alguém

Os pronomes indefinidos ninguém e alguém se referem sempre à pessoas. Ninguém assume um valor negativo e alguém um valor positivo:

  • Ninguém veio à festa. (sentido negativo)
  • Pelo menos alguém veio à festa. (sentido afirmativo)

Nenhum e algum

O pronome indefinido nenhum assume sempre um sentido negativo. Já o pronome indefinido algum assume um sentido afirmativo quando anteposto ao substantivo e um sentido negativo quando posposto ao substantivo.

  • Nenhuma razão pode explicar a sua atitude. (sentido negativo)
  • Alguma razão pode explicar a sua atitude. (sentido afirmativo)
  • Razão alguma pode explicar a sua atitude. (sentido negativo)

Nada e algo

Nada é um pronome indefinido que assume sempre um sentido negativo. Algo, por sua vez, é um pronome indefinido que assume sentido afirmativo.

  • Não há nada que possa melhorar o seu humor no dia de hoje. (sentido negativo)
  • É possível que algo melhore o seu humor no dia de hoje. (sentido afirmativo)

Tudo e todo

Os pronomes indefinidos todo e tudo indicam totalidades afirmativas. O pronome todo, no singular, indica a totalidade das partes. No plural, indica uma totalidade numérica. O pronome tudo representa, normalmente, um termo absoluto.

  • Tudo já foi feito, mas a situação não foi alterada. (termo absoluto)
  • Todos os funcionários reclamaram sobre as mudanças realizadas pela coordenação. (totalidade numérica)
  • O menino sujou a roupa toda. (totalidade das partes)

Certo

A palavra certo pode ser um adjetivo ou um pronome indefinido. Só é pronome indefinido quando aparece anteposto ao substantivo. Quando encontra-se posposto ao substantivo assume a função de um adjetivo, sinônimo de correto, garantido, combinado, apropriado, entre outros.

  • Certo dia, acordei e fui para o parque correr. (pronome indefinido)
  • Tenho certeza que você fez a escolha certa. (ajetivo)
  • Certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, Gregor Samsa encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.” (Franz Kafka)

Qualquer

O pronome indefinido qualquer é utilizado, geralmente, para generalizar uma situação. Podem também assumir um valor depreciativo quando é posposto a um artigo indefinido ou a um substantivo próprio.

  • Faço qualquer coisa para que você me perdoe. (generalização)
  • Qualquer presente já me deixa feliz. (generalização)
  • Ela não passa de uma qualquer. (sentido depreciativo)

Outro

O pronome indefinido outro pode indicar um momento passado ou um momento futuro.

  • Outro dia fui correndo para casa e encontrei meu cachorro perdido na rua. (passado)
  • No outro dia poderemos sair. (futuro)