Formas nominais dos verbos

As formas nominais são maneiras expressar um verbo para enunciar um fato, de forma vaga, imprecisa e impessoal.

Além disso, as formas nominais não podem exprimir por si nem o tempo nem o modo verbal sendo que o seu valor temporal e modal está sempre em dependência do contexto em que aparecem.

São formas nominais do verbo:

As formas nominais são assim chamadas porque podem desempenhar as funções próprias dos nomes, substantivos e adjetivos: o sofrer, menino correndo, tempo perdido.

O infinitivo

O infinitivo apresenta o processo verbal em potência e exprime a ideia de ação, aproximando-se, assim, do substantivo:

  • Não se pode desistir.
  • Por favor, pare de fingir.
  • O chorar é sempre um alívio.

O infinitivo pode ser pessoal, quando tem um sujeito ou impessoal, quando não apresenta sujeito.

  • infinitivo pessoal: Para aprendermos é preciso estudar. (sujeito: nós)
  • infinitivo impessoal: “Ser ou não ser, eis a questão.” (Shakespeare)

O gerúndio

O gerúndio é a forma nominal que apresenta o processo verbal em curso e pode desempenhar as funções exercidas pelo advérbio ou pelo adjetivo:

  • O garoto saiu chorando.
  • Passou a noite estudando.
  • Gritando, foi-se embora.

O gerúndio é uma forma invariável.

O particípio

A forma nominal do particípio apresenta o resultado do processo verbal. Essa forma acumula as características do verbo com as do adjetivo e pode, em certos casos, receber as desinências -a de feminino e -s de plural (como ocorre nos adjetivos).

  • Viram a estante iluminada e com prateleiras carregadas de livros.
  • Ele havia vendido todos os seus bens.